Instituto Federal - Um intercâmbio que foi além de aprimorar conhecimentos e experiências profissionais Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > MEC libera recursos para a construção de sede do campus Paulista, do Instituto de Pernambuco
Início do conteúdo da página

Um intercâmbio que foi além de aprimorar conhecimentos e experiências profissionais

Publicado: Sexta, 20 de Julho de 2018, 17h11 | Última atualização em Segunda, 06 de Agosto de 2018, 17h14 | Acessos: 134


Jerrany Pereira da Silva, aluno de engenharia do Instituto Federal Goiano, voltou entusiasmado de um estágio na França (Arte: ACS/MEC)Experiências vividas fora do lugar de origem podem, muitas vezes, aprimorar a compreensão do cotidiano do qual temporariamente alguém se distancia. Assim aconteceu com Jerrany Pereira da Silva, de 23 anos, estudante de engenharia do campus Urutaí do Instituto Federal Goiano (IFG). Ele conta sua história na edição desta sexta, 20, do programa Trilhas da Educação, produzido e transmitido pela Rádio MEC. 

Há três anos, ao observar a movimentação de estudantes estrangeiros no campus, Jerrany se interessou pela possibilidade de fazer um intercâmbio. A convivência com os colegas franceses lhe deu mais estímulo para escolher seu destino. Dedicou-se, então, ao aprendizado da língua francesa, o primeiro passo para alcançar seu objetivo. Ao ser aprovado para um estágio na França, ele talvez nem imaginasse o quanto essa experiência viria a enriquecer seu aprendizado profissional e pessoal.

Selecionado para um intercâmbio de três meses em Saint-Etiénne-de-Fougères, um vilarejo no interior da França localizado em uma região de fazendas, ele escolheu a área de horticultura orgânica. “Fiquei muito feliz com essa oportunidade porque, além de ser uma realização profissional, era um sonho pessoal”, conta o jovem, que, durante o estágio, entre outras atividades, trabalhou na construção de estufas, aprendeu técnicas de irrigação locais e ampliou seus horizontes.

Interação – “Para mim, foi tudo enriquecedor e bem amplo”, resume. O estágio o aproximou de questões locais e provocou reflexões em torno de algumas diferenças existentes entre a França e o Brasil. A primeira percepção foi nítida: “A França está sempre um pouco à frente de nós, não só em de tecnologia, mas em saúde”.  Estava dada a largada para Jerrany juntar à bagagem conhecimentos para aplicar em sua área.

A convivência com a cultura de outro povo, para ele, também tem teve lugar de importância nesse aprendizado. “Em questão de costumes, de religião, foi tudo bem enriquecedor”, afirma. “Pude ter uma experiência incrível vivendo na fazenda, podendo ver os costumes, como é o dia a dia de uma família francesa. Pude fazer novas amizades, adquirir novos conhecimentos. Pude agradecer pessoalmente às professoras que me ajudaram. ”

Durante o período vivido em Saint-Etienne-de-Fougères, o estudante goiano aproveitou para aprimorar o nível de aprendizado da língua e viajar pelo país, nos fins de semana de folga. Visitou universidades, fez novos amigos e estreitou seus laços com a cultura francesa – o suficiente para incluir em seus projetos a meta de voltar àquele país. “Para um futuro próximo, penso em fazer uma pós-graduação, um mestrado, até um doutorado”, afirma.

Oportunidades de intercâmbio, conforme Jerrany pôde avaliar, vêm sendo ampliadas. “Creio que estão abrindo novas portas para outros estudantes com interesse em um estágio internacional”, observa ele, que, a partir dessa experiência, reforçou a convicção de apostar no ensino como fator de desenvolvimento. “Somente a educação pode mudar muitos problemas que a gente vem enfrentando em nosso país”, conclui.

Assessoria de Comunicação Social

 

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página